Dicas naturais que aliviam os sintomas da rinite alérgica! Aprenda.

Rinite alérgica é uma doença inflamatória crônica da mucosa nasal. Em todo mundo muitas pessoas  sofrem com esta doença, que geralmente é causada por uma reação alérgica a elementos como o pólen de árvores e plantas, pelo de animais, ácaros, essências etc.
Trouxemos hoje para você, dicas de alimentos e remédios naturais para combater e aliviar os sintomas da rinite.

Sintomas mais comuns:
A rinite alérgica caracteriza-se pelos seguintes sintomas:
Espirros repetitivos, Tosse, Mucosidade aquosa, Coceira nasal, Lacrimejamento constante, Congestão ocular, Coceira ocular
Se você sofre algum dos sintomas citados, seja em uma estação específica do ano ou habitualmente, procure um médico para realizar exames diagnósticos e se certificar de que você está sofrendo de rinite alérgica e, principalmente, quais são os tipos de alergênicos responsáveis pelo quadro. O tratamento mais habitual é a base de anti-histamínicos, além do hábito de evitar o contato com os alergênicos ao máximo. Além dos anti-alérgicos, existem alguns alimentos e remédios naturais que poderão ajudar a combater e aliviar os sintomas da rinite.

Veja a seguir quais são:

-Alcaçuz:
Trata-se de um arbusto muito usado na medicina tradicional chinesa e em outras culturas por suas propriedades anti-inflamatórias. Seu efeito é tão forte que o mesmo já foi considero uma cortisona natural. Sua raiz é totalmente indicada para o tratamento natural de alergias, graças à uma série de princípios com atividade anti-inflamatória similar a dos glicocorticoides. Além de desinflamar, também combate à tosse e ajuda a expectorar. Pode ser tomado como infusão, extrato, pastilhas ou mesmo chupando a raiz para extrair seu sumo.

Atenção:
hipertensos e pacientes que já estiverem fazendo uso de alguma medicação deverão consultar seu médico antes de utilizar este medicamento natural.

-Urtiga:
É uma planta medicinal altamente depurativa e que ajuda a bloquear os efeitos da histamina em pessoas alérgicas principalmente ao pólen. Além disso,
ajuda a evacuar e a refrear produção de mucosidade e ataques de tosse produzidos, principalmente, pela alergia ao pólen e pela reação a outros alergênicos. Pode ser consumida em infusão ou como extrato, além da opção de prepará-la em sopas. Não se esqueça de utilizar sempre uma luva para a manipulação desta planta!

– Mel:
mel contém pólen em pequenas quantidades, por isso, ao consumi-lo, o organismo acaba ficando exposto a doses reduzidas deste alergênico, o que faz com que se acostume a ele e, por consequência, reduz a reação alérgica em temporadas em que haja muito pólen no ambiente. Você pode experimentar consumir o pólen de abelha aos poucos, tomando um grânulo no primeiro dia, adicionado mais um a cada dia, até chegar a uma medida semelhantes à de uma colherzinha de chá. Se você notar qualquer tipo de reação, pare de consumir imediatamente.

-Cúrcuma:
A cúrcuma ou açafrão, é uma especiaria excelente e que sem dúvidas não deve faltar em nossa cozinha, já que apresenta inúmeras propriedades. Ela é antioxidante, anticancerígena, anti-inflamatória, etc. Favorece o bloqueio da imunoglobulina e previne ou diminui os sintomas de alergias em geral.
Pode ser utilizada em pratos diários, como sopas, ensopados, cremes, refogados, etc. Como não possui sabor tão forte, também pode ser incluída em algumas sobremesas como pudins, flãs, milkshakes, etc.

-Chá verde:
chá verde tem numerosas propriedades para a saúde e baixo teor de teína, em casos de rinite alérgica, o chá verde contém um composto que impede a produção de histamina, diminuindo e aliviando a reação e os sintomas da alergia. Consuma duas ou três xícaras diárias deste chá. Você também pode optar pelo extrato ou por comprimidos de chá verde.

Outra opção que ajuda a combater a rinite é evitar alimentos que contenham muita histamina,como:
Peixe cru, em conserva ou semi-conserva, Mariscos, Queijo curado, principalmente a parte da casca, Carnes e peixes curados e defumados, Embutidos.
É preciso cuidado ao consumir estes alimentos, o melhor é que, em episódios de crise, eles sejam evitados, e fora destes episódios, sejam consumidos em pequenas quantidades.

Obs: Todo tratamento, mesmo que natural, deve ser acompanhado por um médico. Pois algumas substâncias podem ter efeitos nocivos ao organismo de certas pessoas. Visite o seu médico regularmente.