Conheça alguns erros comuns que costumamos cometer com nossas roupas íntimas.

As roupas íntimas são peças mais importantes do que imaginamos, já que são consideradas uma segunda pele. O problema é que, em algumas ocasiões, nos deixamos levar por diferentes modas e acabamos cometendo erros que afetam nosso bem-estar. Veja abaixo quais são eles:

Evite usar roupas muito justas: Se você costuma usar roupa íntima muito apertada, deve saber que esta pode ser a causa de infecções e irritação na região das genitais. No caso dos homens, é nocivo para a saúde dos testículos e pode chegar a diminuir a fertilidade. O que fazer: Opte por uma roupa íntima folgada. Se desejar, coloque alguma roupa justa para um momento pontual, mas não transforme isso em um hábito.

Evite calcinhas fio dental: As calcinhas fio dental (e os biquínis também) não são a melhor peça se o que você procura é preservar sua saúde. É que, devido ao roçar que inevitavelmente a tira costuma causar, duas regiões acabam entrando em contato através da peça: o ânus e a vagina. Isso aumenta a transmissão de bactérias prejudiciais de uma região para a outra. Isso pode causar infecções vaginais. No caso dos homens, que cada vez usam mais esse tipo de peça, este risco não existe e usar ou não é simplesmente uma questão de estética.

Opte por peças feitas com tecidos que facilitam a respiração: A roupa íntima deve ser inteiramente feita de tecido respirável para que seja o mais cômoda possível. Evite roupas íntimas de seda ou lycra. Ainda que possam lhe parecer mais sensuais, lembre-se de que são tecidos não respiráveis e de que a pele da região íntima precisa respirar. O que fazer: O melhor é usar calcinhas ou cuecas de algodão, que lhe permitirão evitar infecções. Assim como ocorre com a roupa justa, você pode deixar as peças de seda e outras para ocasiões específicas.

Trocar a roupa íntima diariamente: A roupa íntima deve ser trocada diariamente. Caso você sue, isso é ainda mais importante. A roupa suada ou suja deixa de proteger as partes íntimas das bactérias. Além disso, caso tenha colocado uma muda nova e vá à academia, o mais recomendável será trocar essa roupa quando voltar para casa.

Cuidado com a lavagem de suas peças íntimas: Alguns produtos químicos que se comercializam para lavar as roupas íntimas podem ser irritantes, assim, tenha cuidado com seu uso e opte por outros. Assim você evitará problemas na pele como irritações e infecções. Não se deixe enganar por um aroma fresco e floral e preste atenção nos compostos químicos que estes produtos contêm, porque podem prejudicar a pele sensível da região íntima. O melhor é usar um sabonete branco (de preferência de coco) ou detergente sem perfume.

Se não usa roupa íntima: Se você é uma das muitas pessoas que não usam roupa íntima, pelo menos deverá considerar uma série de precauções relacionadas com a higiene que em nenhum caso deve deixar passar despercebidas. O que fazer: Você terá de aplicar todas as recomendações previamente indicadas às roupas que usar e que entrarem em contato com a região íntima. Tenha atenção especial com as costuras, para evitar que rocem na pele e causem irritações.

Dormir com roupa íntima: Você tem o costume de dormir com roupa íntima? Talvez seja o momento de repensar este hábito. Segundo um estudo feito em 2012, no caso dos homens o excesso de calor na região íntima pode prejudicar a qualidade do esperma. Não se esqueça de que durante estas horas de descanso a genitália pode respirar e transpirar como é devido.

Não faça sua roupa íntima de bolso: Você alguma vez já usou o buraco do sutiã para enfiar dinheiro ou algum papel? Isso é nocivo para a sua saúde, porque a quantidade de bactérias que pode ser encontrada em um papel é muito grande. O melhor será manter sua roupa íntima limpa, seca e escolher um tecido que respire. Usar roupa íntima em todo momento é o mais saudável e, em qualquer caso, se é necessário abrir mão dela em algum momento, que seja durante a noite.

Lembre-se de que estas recomendações são especialmente importantes quando praticamos esportes. Nesse momento a pele tem um contato maior com a umidade e as bactérias das roupas, e é aí que pode se desenvolver uma infecção. Obs: Este site fala de tratamentos naturais alternativos. Portanto, não substitui um especialista. Visite o seu médico regularmente.