Erva baleeira: ótimo analgésico, anti-inflamatório, cicatrizante, diurético, relaxante muscular e muito mais!

A erva-baleeira, Cordia verbenacea, também é conhecida como maria-milagrosa, baleeira, maria-preta, salicina, pimenteira, catinga-de-barão, e muitos outros nomes. Em inglês, foi apelidada de black sage, talvez pela infinidade de curas que ela pode fazer.

A erva-baleeira é uma planta arbustiva nativa da região de Mata Atlântica porém, espalhada por todos os locais úmidos do nosso imenso país. Em estado natural esta planta é encontrada no litoral do sudeste e sul (entre São Paulo e Santa Catarina), região de cultura caiçara, povo de serra e mar, que a usava em suas curas, na forma de garrafadas.

Propriedades medicinais da erva-baleeira:

Na medicina popular, a erva-baleeira tem uso recomendado como diurético, laxante, anti-inflamatório, antisséptico, analgésico e relaxante muscular. Mas, seu uso mais extenso é mesmo nos tratamentos de feridas abertas, para as quais propicia a antissepsia e cicatrização muito rápida, evitando infecções e, nos tratamentos de dores em geral: reumatismo, dores de coluna, nevralgias, artrites, contusões e até dor de dente.

A erva é muito prevalente ao longo da costa sudeste do Brasil e há muito tempo ocupa um lugar na medicina alternativa como um eficaz anti-inflamatório de uso interno e externo para vários tipos de doenças inflamatórias, incluindo artrite reumatoide, artrose, bursite, ciática, contusões, fibromialgia, hérnia cervical, LER, osteofitose, reumatismo, tendinite, dentre outras.

Foto: Reprodução/Google.

Usos:

Garrafada:

Como dito acima, a garrafada é a maneira mais antiga de se usar a erva-baleeira para a cura. Caso prefira esta forma, escolha um veículo alcoólico que você possa ingerir (o povo costuma misturar com pinga, claro) e também usar para massagear os locais doloridos. Se for tratar de processos reumáticos ou artríticos o recomendado é que você faça uso externo e interno: massageie os locais a serem tratados, pelo menos 3 vezes ao dia, e tome um cálice (50 ml) do líquido, 1 a 2 vezes ao dia.

Como fazer: A receita mais antiga sobre o uso da erva-baleeira é bem simples: um punhado de folhas frescas, limpas e picadas, se coloca em uma garrafa escura. O volume total se completa com água e álcool, em iguais proporções. Deixa-se descansar, ao abrigo da luz direta e do calor, durante 7 dias. Após esse tempo, a garrafada está pronta.

Como relaxante muscular, massageie os locais doloridos e tome, também, um cálice do remédio.

Pomadas e cremes:

A erva-baleeira pode ser acrescentada a cremes e pomadas, para uso externo, da mesma forma que outras ervas (sempre use 20% do volume total em ervas para 80% de gordura e cera).

Chá de erva-baleeira:

Uma forma fácil de se usar a erva-baleeira é fazer um chá.

Use uma colher de sopa cheia de folhas picadas para 1 litro de água fervente ou, caso tenha a erva seca (comprada em ervanário), use somente uma colher de sobremesa.

O chá de erva-baleeira não deve ser fervido. Você deve colocar as ervas na água fervente e abafar por 10 minutos. Tomar em seguida. Pode-se tomar de 2 a 3 xícaras ao dia.

Outras formas de uso:

Da mesma forma, você pode fazer banho de imersão com o chá de erva-baleeira.

Nas farmácias naturais você encontrará, com certeza, erva-baleeira em cápsulas e em tintura. Seu uso e forma de consumo deverá ser orientado por um terapeuta fitoterápico pois, para algumas pessoas, o consumo de cápsulas ou tintura poderá causar irritação gástrica.

A erva-baleeira faz parte da listagem do Renasus – Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS e seu uso é bastante extenso no país todo.

Obs: Este site fala de tratamentos naturais alternativos. Portanto, não substitui um especialista. Visite sempre o seu médico.

Gostou? Siga-nos e  Compartilhe com seus amigos, eles vão gostar!