Esse é o motivo por que as mulheres “fortes” se sentem quebradas por dentro

As mulheres são conhecidas por serem corajosas, guerreiras e trabalhadoras. Mas a verdade é que todas elas têm o seu lado sensível. Esse texto foi escrito para todas aquelas que, apesar de aguentarem muitas situações sempre com o sorriso na cara, se sentem quebradas por dentro. Ela pode passar por qualquer coisa. Desgostos amorosos. Fim de amizades. Lutas familiares disfuncionais.

Sempre que o mundo a machuca, ela finge um sorriso e continua em frente como se nada tivesse acontecido. Como se estivesse perfeitamente bem. Como se seu coração fosse inquebrável.

Ela parece forte. Mas ela não se sente forte. Ela se sente como se estivesse vivendo uma mentira, como se todo o mundo lhe desse mais crédito do que ela merece.

Afinal, todo mundo só pensa que ela é forte, por que eles veem um único lado dela. Eles a veem durante o dia, quando ela tem energia suficiente para fingir. Mas eles não a veem à noite, sozinha em seu quarto, quando ela está demasiado cansada para superar seus problemas.

ELA NUNCA DEIXA NINGUÉM VER SUAS VULNERABILIDADES.

Quando tem o desejo de chorar, ela segura as lágrimas até que tenha uma chance de escapar para o banheiro e deixar a água correr. Quando está chateada, ela vai inventar uma desculpa para cancelar seus planos, então ninguém percebe que ela está agindo de forma estranha. E quando tem um colapso mental, ela não manda mensagens para seus amigos sobre isso, nem posta um status no Facebook. Ela sofre em silêncio.

Ela não percebe o objetivo de compartilhar sua miséria. Seus amigos a consideram engraçada. Divertida. A solucionadora de problemas. Eles desabafam a ela seus problemas. Eles esperam que ela saiba o que fazer. Eles esperam que ela tenha a solução.

Então ela acena com a cabeça e oferece consolo quando se queixam de suas vidas quase perfeitas, mesmo que ela queira gritar que não sabe quais são os seus verdadeiros problemas. Que ela está lidando com algo um milhão de vezes pior.

Mas ela não se deixa explodir. Ela ouve. Ela entende. Ela tenta ser uma boa amiga.

E quando ela está em público, com pessoas à sua volta, não é tão difícil deixar seus problemas de lado. Ela já se acostumou. Mas no segundo em que ela chega a seu carro, no segundo em que está fora da vista do resto do mundo, todos os seus problemas vêm á tona.

Ela odeia viagens longas sozinha no carro, tanto quanto ela odeia seus pensamentos da meia-noite. Ela odeia estar presa em sua própria mente – porque é um lugar perigoso.

É um lugar onde ela está convencida de que está atrasada na vida. Que não teve sucesso. Ela é feia. Ela é estúpida. Ela vai morrer sozinha. Ela vai morrer sem cumprir qualquer dos seus sonhos.

Mesmo que ela pareça forte, mesmo sendo forte, seus medos não a deixarão em paz. Eles a seguem até sua casa todas as noites, em seu quarto, em seus sonhos.

E eles fazem ela se sentir pequena. Inútil. Sem utilidade.

Ela odeia que o resto do mundo a veja como uma coisa, como uma bela mulher independente, enquanto ela se vê como algo completamente diferente. Como se isso não fosse real.

Ela não percebe que é tão forte como ferro, porque ela continua seguindo em frente. Ela é forte, por que ainda tem esperança. Ela é forte, por que é capaz de sorrir através da dor.

Ela é forte, por que ainda está viva, embora tenha testemunhado o quão cruel este mundo pode ser”.

Vocês se identificam com esse texto?