Limpar a casa faz tão mal às mulheres como fumar 20 cigarros por dia, diz pesquisa

Uma pesquisa feita pela Universidade de Bergen, na Noruega e publicado pelo jornal da Sociedade Torácica Americana, comprovou que o contato contínuo com produtos de limpeza, pode representar um risco para a saúde respiratória, especialmente em mulheres.

Como foi desenvolvido a pesquisa? Foi analisada à saúde respiratória de 6.200 pessoas em duas etapas diferentes. Em uma primeira etapa, a pesquisa foi iniciada quando as pessoas tinham em média de 34 anos, e a segunda 20 anos depois. A pesquisa queria saber se essas pessoas mantinham contato com produtos de limpeza e sprays e com que frequência.

Veja alguns pontos importantes que a pesquisa revelou! A pesquisa constatou, que o contato em demasia com produtos de limpeza provoca danos aos pulmões, especialmente em mulheres, comparado a fumar um maço de cigarro por dia.

A pesquisa revelou ainda mais: “As mulheres que faziam limpeza, quer fosse uma vez por semana na sua própria casa ou no trabalho, mostravam um declínio na capacidade pulmonar, comparável ao consumo de 20 cigarros em 10 ou 20 anos. Já nos pulmões dos participantes do sexo masculino não foi encontrado qualquer efeito do uso de produtos de limpeza.”

Os autores da pesquisa, sugerem que a redução da capacidade pulmonar seria decorrente do uso dos produtos químicos dos produtos de limpeza, pois eles irritam as mucosas que revestem as vias respiratórias, o que, com o tempo, resulta em alterações permanentes.

Já no caso dos homens que parecem não ser afetados, os investigadores acreditam que a explicação resida no fato de os seus pulmões serem menos suscetíveis a esse impacto, uma vez que estudos anteriores mostraram que os pulmões dos homens são mais resistentes aos danos provocados por vários agentes irritantes, incluindo o cigarro.

“Enquanto os efeitos a curto prazo dos produtos químicos de limpeza na asma estão cada vez mais documentados, falta-nos conhecimento sobre o impacto a longo prazo“, afirma Cecile Svanes, da Universidade de Bergen. “Receamos que esses produtos químicos, ao danificarem um pouco as vias respiratórias, dia após dia, ano após ano, pudessem acelerar a taxa de declínio da função pulmonar que ocorre com a idade.”

“Quando se pensa na inalação de pequenas partículas de agentes de limpeza destinados a limpar o chão e não os pulmões, talvez não seja surpreendente” o impacto destes produtos, concluiu Oisten Svanes, coautor do estudo.

O que achou da pesquisa? Comente e compartilhe!