Menino fazendo contato pele a pele no irmão mais novo está derretendo corações

Esta é a história de Jessica, uma mãe que estava grávida mas abortou às 11 semanas, o que a deixou muito abalada. Felizmente, voltou a engravidar passados 3 anos!

Quem ficou muito feliz com a notícia foi Mikey, o seu filho mais velho, que fez de tudo para ajudar a mãe, incluindo a técnica de contato pele com pele, que ajuda no desenvolvimento do bebê.

“Jake tinha 500 g e apenas 12 cm de comprimento. Ele era do tamanho de um bebê de 25 semanas. Quando me recuperei um pouco, fui levada para vê-lo. O seu tamanho me deixou sem fôlego, e os meus olhos encheram-se de lágrimas”, conta Jessica.

Chegada a tão aguardada hora de conhecer o irmão dos seus sonhos, Mikey estava nervoso, mas muito sorridente.

Mikey ficou muito emocionado quando viu que Jake tinha cabelo ruivo, tal como ele, mas ficou muito triste por este estar no cuidado intensivo, pois queria muito segurar nele.

Embora triste, o irmão mais velho passou horas a fio no cuidado intensivo, a acariciar e beijar o pequeno Jake.

Passados alguns dias, Mikey pôde finalmente segurar em Jake pela primeira vez, praticando a técnica de contato pele a pele.

Nesse dia, Jessica perguntou a uma enfermeira se Jake era suficientemente forte para Mikey fazer contato pele a pele com ele, esperando uma resposta negativa. “Fiquei mais que emocionada quando elas concordaram! Foi incrível e emocionante, e acredito realmente que essa foi a base do seu vínculo fraternal”, conta Jessica.

A mãe resolveu registar o momento especial em que Mikey estava ajudando o irmãozinho, e partilhou nas redes sociais.

“O meu coração estava cheio – foi muito emocionante vê-los juntos. Ter um filho no cuidado intensivo é uma experiência tão diferente – ao extremo – de um parto normal, como o que tive com o Mikey. Eu não consegui segurar Jake até 24 horas após ele nascer, e não foi durante muito tempo”, explica Jessica.

A condição do bebê era tão delicada que ela e Mike, o marido, não tinham permissão para segurar nele. Tudo que podiam fazer era contato pele a pele, e só podia ser feito por uma pessoa por dia.

“Então, houve muitos dias em que eu não o segurei e só pude tocar nele através da incubadora”, lembra a mãe.

Depois de 62 dias no cuidado intensivo, Mikey levou finalmente o irmão mais novo para casa. “A sua chegada foi um dos dias mais felizes da nossa vida”, diz Jessica.

Uma das atividades favoritas dos dois irmãos é estarem aconchegados um ao outro. “Eu sinto-me honrada por testemunhar o amor deles. A ligação deles é incrível, e o meu marido e eu dizemos sempre que gostaríamos que o Jake olhasse para nós como olha para o Mikey. É como se os dois estivessem destinados a ser irmãos um do outro. Não há dúvidas que o Mikey nasceu para ser o irmão mais velho do Jake, e o Jake para ser o irmão que o Mikey sempre desejou. O Mikey é um irmão mais velho incrível, e ter o Jake trouxe calma à vida dele”, conta a mãe. COMPARTILHE!