Quando um morador de rua foi internado, cães esperam na porta do hospital; confira

No domingo, a enfermeira Cris Mamprim estava trabalhando no turno da noite no Hospital Regional Alto Vale, em Rio do Sul, Santa Catarina, quando um morador de rua chamado César entrou em busca de tratamento.

Enquanto César recebia tratamento para resolver um problema de saúde, Cris notou que um grupo de cães estavam  reunidos do lado de fora da porta, esperando que o seu amigo saísse. E, como Cris observou, esses cães pareciam muito bem alimentados, em comparação com outros animais que viviam na rua.

Esses bons cães recusaram-se a sair até César estar pronto para se juntar a eles, mas antes disso, a equipe do hospital permitiu que eles entrassem para uma refeição com César.

César disse que às vezes não come e em vez disso dá a comida aos seus amigos peludos, Cris compartilhou no Facebook:

“Com tanta gente mal por aí, hoje me deparei com essa cena. No hospital em que trabalho, às 3 horas da madrugada, enquanto seu dono (morador de rua) estava sendo atendido, seus companheiros esperavam na porta.

Uma pessoa simples, sem luxo, que depende da ajuda para vencer a fome, o frio, as dores, as maldades do mundo, tem ao seu lado os melhores companheiros, e a troca é recíproca. Troca de amor, carinho, calor, compreensão.

Uma pessoa que nos confessou que deixa de comer para alimentá-los. Não sei como é a vida dele, o porque está na rua, e nem quero saber e julgá-lo, mas admiro o respeito e amor que ele tem pelos seus bichinhos.

Vê-los assim, esperando na porta, só mostra o quanto eles são bem cuidados e amados. Ai se todos fossem assim…. Se não tivesse maldade, maus tratos…”